22 de jun de 2005

Homens

Eu achava tão difícil me imaginar sendo mãe de menino...
Mesmo desde antes engravidar da Melissa, já tinha idéia de ter uma menina. Tanto que a minha primeira tatuagem foi uma anjinha. Sim, no feminino. De cabelos enrolados. E eu fiz pensando na menina que eu teria.
Quando eu engravidei da Melissa, achava que era menina. Mas aí todo mundo falou tanto que era menino que eu acabei achando que era, mesmo. No ultrassom, quando a gente descobriu uma menina... só faltou eu pular de felicidade por aí.
E eu, que nunca gostei de cor-de-rosa, vermelho, fitinha no cabelo, maquiagem, vestido, me peguei escolhendo as roupinhas mais cor-de-rosas, os sapatinhos mais enfeitados, as maria-chiquinhas mais cheias de flores. Pois é... a gente paga a língua.
Eu comecei a colocar cor-de-rosa quando todo mundo vinha perguntar quanto tempo "ele" tinha. Eu estressava. Chegou uma hora que eu fingia que não ouvia. Mas aí... vieram as roupinhas cor-de-rosa. E ninguém mais se confundiu.

E veio o João. João, um menino. Justo quando eu estava apaixonada pelas meninas. Depois de pegar gosto pelas coisinhas mais bregas, pelas calcinhas com babado e meia-calça.
E começamos a comprar roupinhas. Puxa, que lindo aquele vestido. Mas é menino. Então vamos pegar outra coisa. Ai, olha aquela jaqueta cor-de-rosa! Ai... é menino. E olha que macacão lindoooo... Mas tem flor....
Era uma coisa...
Demorou até a gente entender que ia ter que comprar coisas azuis, verdes, amarelas, brancas. Mas, depois de começar, a gente pegou gosto pela coisa.
E começou.... Era "ai, que legal, aquele boné!", "vamos comprar uma bola?", "não seria melhor um azul?", "vermelho?"...
E chegou o moleque. Ai.......... que lindo....
Como eu pude achar menina mais legal?
Porque não tem mais legal. Os dois são legais. De jeitos diferentes, sim.
Comprar roupa cor-de-rosa, fazer cachinho nos cabelos, calcinha, limpar da frente pra trás é muito legal. Eu adoro.
Mas comprar roupinha azul, se preocupar se vai ter fimose ou não, comprar carrinho preto também é muito legal.

Pra falar a verdade, o legal é conhecer o mundo pelo outro lado da coisa, também.
É o máximo a gente se ver em alguém, lembrar de como a gente gostava de trocar a fralda daquela boneca quando a sua filha está fazendo, comprar uma roupa que parecia com aquela que você tinha...
Mas ver como seria legal ter subido naquela árvore, jogado bola no meio dos moleques, fazer xixi de pé, em qualquer lugar, também.

Eu estou amando ter a chance de ver os dois lados da moeda.



E estou amando imaginar como o Bhuda era, se parecia, se fazia isso... aquilo...

6 comentários:

Simone disse...

Só posso falar de menino mas, de qualquer forma, sempre quis ser mãe. Indpendente de ser menino ou menina. Se mãe é tudo de bão. De dois, então, deve ser melhor ainda. Quando é desejado, não importa o sexo pq para mãe o bebê é FILHO, não apenas um menino ou ma menina. Em tempo, João tá lindo. Bjs

Bhuda disse...

o melhor ainda está por vir...
brigas na escola, na rua, tombos de bicicleta, machucados e por ai vai...
vai e vai ser muuuuuito bom neh?
bjoks...

thais disse...

Ih... briga na rua, na escola, tombo de bicicleta e machucado não é só coisa de menino, viu.
Eu fiz tudo isso. Huhuhuhuhuhuhu. Muito. huhuhuhu

menina dos cabelos amarelos disse...

sabe que eu, com essa minha pose de tudo-ao-mesmo-tempo-agora, fazendo planos agitados e mirabolantes, acho que um dia vou querer muito só ouvir o barulho da respiração dos filhos que eu ainda não consigo imaginar que virão, mas eles vão chegar sim. e você sabe que foi uma bênção, sei lá eu de quem, ter tido esses dois pequenos aí. beijos!

Tathi disse...

Hehehe!!!

Que legal ouvir o que sente quem tem menino e menina!
A maioria dos meus tios e tias tem só meninos ou só meninas... Engraçado, né?
Gostei de saber como você se sente, sendo mamãe dos dois!

E por falar nisso, o João está muito LINDO!!! Eu amei essa foto, ele está bochechudo, lindo, lindo, lindo!!! Dá vontade de morder!!! Hihihi... Mas fique calma, não vou morder, nem apertar o João, mas fiquei com muita vontade de ver vocês, vamos ver...

Beijos!

Rosana Oshiro disse...

Como a gente é parecida...huauhahuauha
Tudo isso eu senti tbem!
Tambem queria trabalhar como "mulher de branco" e ter primeiro um menino (João Vitor) e depois a "Ana Paula"....huahuahuahuahua
Acho que eram as influencias da epoca ne?

beijo
PS: hj tirei o dia pra ler teu blog e me inspirar... huauhahuauhahuahua