31 de mar de 2012

os efeitos da publicidade infantil sobre MIM

continuando o assunto dos posts anteriores...... hoho.

eu nunca pensei por esse lado. porque eu fui uma criança movida a televisão e isso, para mim, "não foi problema". afinal, eu sou "normal".

eu acordava, ia para a frente da tv ver o x*u da x*xa, almoçava em frente à tv e ia pra escola. voltava e fazia o quê? ligava a tv, claro. e ficava até a hora de dormir. via programas infantis e programas adultos.
e fiz isso por muitos e muitos anos.

então, exemplo melhor que eu, não há.

eu lembro de "precisar" de muita coisa: roupa da marca da apresentadora, o microfone da apresentadora, o cachorro da apresentadora, a boneca da apresentadora, os acessórios da boneca da apresentadora. mas além disso, eu "precisava" de muitos chocolates diferentes (a maioria deles era comprada uma vez e eu comia uma bocada - o resto ia parar no lixo, na boca da minha avó, da minha mãe.....), de cadernos diferentes (claro que eu não usava metade), de mochilas diferentes (comprava uma por ano. a velha era doada ou ia para o lixo, nem lembro), de muitos sapatos incríveis, todos os brinquedos diferentes......
meus pais trabalhavam fora, os dois. por isso, ou talvez porque a família era grande e cheia de adultos, eu ganhava quase tudo o que eu queria. morria de orgulho da minha coleção de 30 b*rbies, 12 k*ns, 3 casas, carro, barco, cabeleireiro, loja, lanchonete, etc etc etc. sim, eu tinha tudo. se eu não tinha, minha irmã tinha. ou alguma das minhas primas. ou cada uma de nós tinha um.
morria de orgulho da coleção (sim, leia bem) de kits de lápis de cor. tipo, tinha 10 conjuntos de 36 cores, 20 de 12 cores, 6 de 6 cores, etc etc. nunca acabei com nenhum deles. aliás, meus filhos, hoje, ainda usam alguns desses lápis. os que eu guardei.

uma vez que minha avó se irritou comigo - essa eu lembro porque ela não se irritava tão facilmente comigo - foi porque eu precisava de uma porcaria melada com gosto de mel (e eu nem gostava de mel) e ela falou que eu não ia gostar. eu falei que eu ia gostar, sim, e queria. ela me levou ao mercado e comprou. eu cheguei em casa seca de vontade e fui experimentar. enchi o pão de k*ro e dei uma bocada. quase vomitei! huahauhauahua. claro que minha vó amou a reação e me deu uma super bronca. e o pote de meleca ficou lá........

e eu sou assim. eu quero, eu preciso. eu preciso ter 15 batons diferentes? eu tenho. 15 que são praticamente a mesma cor: de boca. dãr. eu preciso ter 8 lápis de olho, sendo que eu só uso o preto? eu tenho. eu preciso de 3 pares de crocs, só porque eles são de cores diferentes? claro! imagine combinar uma roupa azul com crocs laranja? detalhe: um dos pares é laranja, o outro é lilás e o último é... roxo! tanta diferença. aliás, os crocs já são enormemente lindos e elegantes, né? quem usa um deles não tem direito de reclamar que não combina. hoho.
não sou diferente do que eu era. só que, ao invés de barb*es, eu tenho eletrônicos, calças jeans, maquiagem, mangás, cds, ....

mas enfim, eu sou assim com tudo. eu vejo roupa de criança, fico lou-ca. quero tudo. e, se eu quero, eu preciso.
afinal, ninguém pode ser feliz usando roupa rasgada, furada, manchada, com bolinhas, né? nem meus filhos.

sim, minha gente, eu sou consumista. sinto um prazer enorme em comprar, em escolher. quem diria, né?
mas eu entrei em auto terapia depois que comecei com minha eco-neurose.
o consumismo é o pior dos atentados contra a ecologia. óbvio. e eu não poderia seguir minha vida "verde" sendo consumista.

então, comecei a preferir comprar coisas boas, verdes, legais, duráveis e.... caras. e aí, o consumismo foi ficando de lado, simplesmente porque não cabia no orçamento.
eu não estou "curada". nem de longe. eu quero e preciso de muita coisa. muita. mas aprendi que precisar é diferente de "precisar". e aí, quando eu compro alguma coisa porque "preciso", sinto muita dor na alma, porque sei que vai ficar encostado, vai acabar/estragar rápido, foi feito por mão de obra barata e mal paga, se paga, todos os resíduos... bom, deu pra entender.

eu, com 30 anos, sem ver televisão há anos, sem ler revistas que são 90% comerciais também há anos, sem contato com o mundo externo, hoho, vivo sofrendo por causa do espírito consumista que há dentro de mim. e eu acho que a maioria das pessoas que viveu na mesma época também. mas a maioria se deixa levar, acredita que "precisa" e pronto.
eu, não! pelo menos, na maioria das vezes.

e meus filhos, com certeza, não. eles querem, podem ter certeza. assim como eu. mas eles sabem que tudo tem seu preço e que esse preço, na maioria das vezes, não vale a pena pagar. além do que, é muito mais divertido a gente inventar alguma coisa do que comprar pronto, apesar de ser mais trabalhoso.
espero que eles continuem assim.

Nenhum comentário: