2 de abr de 2008

historinhas de terror

Já contei as minhas aqui?
Huhuhu. Hoje é dia. Quem não gosta, pula, visse.

Minha mãe sempre foi médium. Do pior tipo. Huahuahauhua. Morria de medo de herdar isso. Mas claro, eu sempre pego as coisas ruins das duas famílias, "peguei".

Eu sempre fui daquelas que sentem olhares, presenças e tal, mas como ficavam na sensação, beleza. Eu pensava "Impressão minha...".
Até que, um beeeeeelo dia, Tatiana estava fora, papai eu não lembro porque não estava. Estávamos eu e minha mãe em casa. Era bem madrugada e ouvi as portas dos armários da cozinha batendo. E não parava! Mas não desci. No dia seguinte, reclamei:
- Pô, mãe, faz menos barulho de madrugada, né.
- Ai, achei que fosse você.
E um silêncio.
Ok, isso em Cumbica. A casa mal assombrada. Quem esteve lá, deve imaginar o porquê.

Dia seguinte, estava voltando da faculdade. Eu e o Bhuda, de carro. Na esquina de casa, vi um homem loiro, magro e com o cabelo jogado pro lado, de camisa azul, enfiando a cabeça no carro. Dei um grito que o Bhuda quase bateu o carro. Eu achei que fosse assalto. Huahuahauhau Enfim, contei pra mamma. Ela me disse que um cara tinha sido assassinado ali, há alguns dias, e era cobrador (a camisa azul) e era loiro, magro.
Bu-hu.

Um dia, estávamos saindo da casa do Bhuda, nos despedindo da Marli quando vi um senhor que nunca tinha visto entrando na primeira casinha da rua. Perguntei quem era, porque não cumprimentou nem nada e lá, todos se conhecem. Nem Bhuda nem Marli tinham visto senhor nenhum e falaram que o único senhor que morou naquela casa tinha morrido no ano anterior.
Ui.

E aí, o mais aterrorizante, pra mim, que foi o dia do cobertor.
Thais estava deitadaa na sua caminha de solteiro, com seu edredon azul (que era uma colcha, mas eu usava de cobertor e gostava). Até que sentiu algo puxando seu cobertor. E puxava forte.
Sei lá porque diabos eu puxava de volta. E quase não agüentei, de tão forte que puxava. Aí de repente, parou. E eu fiquei lá, segurando o edredon a noite toda.

Isso tudo é velho, minha gente.
E, sem contas as pessoas que eu vejo na rua, que não são pessoas por vários motivos (ou estão voando, ou andando no meio da avenida, ou enfim.....), os barulhos estranhos que eu ouço.

Agora vamos às novas!
Melissa e João teimam em brincar com "Mateus". Um menino de boné que é o amiguinho deles.
Ahn???? QUe Mateus, senhor, que Mateus???
E agora, João conheceu "Hélio".
Ahn??? Hélio??????????
Fora a vez em que o João (sempre ele) estava conversando e eu fui ver, já que a Mel estava comigo e o Zé na barriga. Ele apontou pra parede e disse que estava conversando com a "moça". E conversava, ria.
ômaigá.

E agora, pros brinquedos.
Thelma deu um carrinho de controle remoto pro João. Pois o carrinho vive andando pela casa. Mesmo agora, que o controle fica no carro, o carrinho passeia.
O tio Kiyoshi deu um bicho que fala também pro João. E o bicho fica falando a noite toda.
Minha mãe mandou um brinquedo cheio de botão, que cada botão faz um barulho diferente. E ele fica fazendo barulho.
Tudo bem, pode ser curto circuito, sei lá, né? Pane elétrica.

Mas esse último que vou contar, esse me deixou cagando de medo.
Pois estava eu passando aspirador pela casa. Vi um McQueen que o João (huahuahau, tadinho) ganhou num KinderOvo de Madri. Desliguei (DESLIGUEI) o aspirador e fui pegar o McQueen. O carrinho minúsculo (deve ter uns 2 cm de comprimento) estava na porta do quarto, quase na dobradiça. Eis que, quando eu me abaixei, ele andou, deu a volta na porta (fazendo um U) e foi parar atrás da porta aberta. O carrinho, que nem é de fricção, andou sozinho e FEZ UM U. U!
Huahuaha, eu saí correndo, catei as crianças e fui pro parquinho.
Eu, hein.

13 comentários:

Queijo disse...

ai que legal! eu não tenho medo, não. sua casa é a mansão foster para amigos imaginários...kkkkkkk

"escuta" essa que já aconteceu 2 vezes: o telefone tocou, eu atendi (na casa antiga) e era minha mãe. eu perguntei o que ela queria e ela disse "vc que me ligou", eu disse "eu? o telefone tocou aqui e eu atendi" ela: "ué, tocou aqui tb".

flores na janela disse...

Calma
vc sabe que um dos grandes enormes motivos pelo qual eu não ficava no ap era isso né? ver coisas que aconteceram a vida toda mais todo mundo fala que sou doida então me comformei e no máximo choro quando vejo alguma coisa rsrsrsr.
O Fe vive conversando dando a mão falando tchau e dando bj sei lá para quem, mais ele faz e ri quando vc pergunta, acho que é normal de toda criança ser um pouco paranormal.
Quando eu morava em cumbica eu senti a coberta descer tb e quando eu olhei eu é quem estava puxando o cobertor???? pois é tive febre por 3 dias.

B i a disse...

Vishi...quaaaaase me inspirei pra contar as minhas tb...
Sim,toda criança,por ser pura tem,umas dão mais atenção,outras menos.

lulu disse...

ai, que meda! não quero mais voltar pra esse ap não! hahahahaha

~Maíra~ disse...

Putz..........
Bom, eu, como uma boa espírita, acredito e sempre acreditei em tudo isso. Sem contar que eu adoro assistir "Assombrações", no Discovery.
Mas MORRO DE MEDO de ver algo. Nunca vi, graças a Deus. Acho que eu teria um treco. Minha vó tem mediunidade, mas nunca desenvolveu porque é hiper católica, mas às vezes ela vê umas pessoas. Ai ai ai.
E as crianças vêem mesmo, com naturalidade, dizem que é porque estão nesse mundo há pouco tempo, e ainda têm um certo contato com o mundo espiritual.
Bom, meu conselho é, se começar a rolar merda na sua casa, vai num centro espírita e pede ajuda... eles podem ajudar os espíritos a irem embora. Ui (medo)...

Pira disse...

Eu também tinha uma "amiga" quando era criança, se chamava Cinthia! Sabe que coincidentemente estávamos falando hj no trabalho sobre coisas assim, um amigo meu que morrou numa casa esquisita... Bom, bjocas pra todos!!!

ana b. disse...

não acredito em bruxarias... mas q elas existem, existem!!
e fico por aqui, q ainda tenho q trabalhar...
bjs
a.

mim mesmo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mim mesmo disse...

caraca, thais.. dá até medo de vc!!! rsrsrs boa a da mansão foster!!! fiquei rindo sozinho!! huahuahua eu não vejo nada disso (graças a Deus!!!)mas a família da minha namorada vive vendo pessoas pela casa, premonições e tal... mto estranho...
Como diz um amigo meu: "Não acredito em fantasmas, eles são muito mentirosos!"
Bjão, parabéns pelo blog, vou pegar como modelo para incrementar o meu!

viviane ribeiro disse...

Esss coisas que não sabemos explicar hein, uiuiui.

Bjs

Rosana Oshiro disse...

putz... dizem q aqui no Japao tem a epoca dos fantasmas pela rua...
q as pessoas evitam sair e talz...
eu juro q queria ver essas coisas acontecerem...
naum q eu duvide, mas pra acreditar MESMO so se eu visse...huahuahuahuahuuau

katiana disse...

vc esqueceu de contar os "causos" da casa da vl barros, ai eu presenciei vaaarios!!!!

eu hein.....

mybeautifullove disse...

os espiritos te perseguem menina, fato.