15 de fev de 2007

Mudei de opinião: maioridade penal

Mudei.
Não acho mais que se deva diminuir a maioridade penal.

Mas não é porque eu acho que se deve mudar a estrutura do país antes de se fazer alguma coisa.
A verdade é que eu li os comentários do post anterior e fui ler mais sobre o assunto e mudei.

Vou comentar os comentários que me fizeram repensar sobre o assunto:
Simone disse...
Eu não acho que a redução da maioridade resolva vai evitar que menores assumam a culpa por adultos "só" porque são menores. E, também, acabar com o sentimento de impunidade que eles têm. Além disso, eles são "recrutados" para o crime, justamente por serem menores. Olha, pra quanto deveria reduzir eu não sei, mas que deveria, EU acho que deveria
Pronto. Tinha até esquecido, no calor da coisa, que os menores são "recrutados" por serem menores. A gente diminui a maioridade e aí? No próximo crime horrendo (porque eles vão acontecer, infelizmente), vão botar a culpa em um menino menor, como a Fabíola disse, de 10 anos, e a gente vai querer diminuir mais a maioridade penal.

Tatiana disse...
Tem gente que já tem filho aos 14-15 anos, trabalha e tal, por que não poderia ser penalizada como adulto também???
14 anos, pra mim, é criança. E não acho que eles trabalhem e criem filhos porque querem, mas porque precisam. E já não são injustiçados demais? Porque 14-15 anos de classe média, média alta, até onde eu saiba, não trabalha (pelo menos, nunca vi), nem é obrigado a criar filho, nem tomar decisões de adulto. Aliás, esses adolescentes ricos de hoje, em sua maioria, são todos mais infantilizados do que eu jamais poderia descrever. Deveriam só poder entrar na maioridade depois dos 50 anos.

Pena de morte:
Ainda sou contra. Ninguém a favor disse nada relevante nem que me fizesse balançar a respeito.
Aliás, se pena de morte funcionasse, não existiria crime em lugares onde essa punição absurda se aplica.

Agora, a pergunta que não quer calar:
A GENTE NÃO VAI FAZER NADA, ENTÃO?
O que a gente pode fazer a respeito?
Alguém me dê uma luz!!!!!!!
Eu estou com MEDO de voltar pro Brasil. Até alguns dias atrás, estava certa de que queria voltar. Agora, não quero mais. E não, não é por falta de amor ao Brasil ou porque a Espanha seja maravilhosa demais, não. É que eu quero meus filhos vivos.

7 comentários:

Bhuda disse...

diminuir a maioridade: sim, deve. pena de morte: sim, deve existir.

mas ambos os casos, NAO funcionará no Brasil ao meu ver. Num país que quem manda é quem tem dinheiro isso nao funciona. onde nem as penas máximas nao podem ser cumpridas (vc só cumpre 1/3 da pena e tá blz...)

qto a voltar pro BR, eu tb nao quero, quero meu filhos vivos e comigo sempre...

Cassab disse...

vc poder mudar de opinião nesta vida para mim é tudo!!!!

Sou a favor da pena perpetua, mas a de morte não. PQ sou a favor da vida. E tb pq sangue gera sangue.

O que relamente precisamos é ser mais ágil e menos moroso. E sempre ter mais educação que não faz mal a ninguém.

Ou se acha que se as pessoas tivessem o básico a violência não diminuia. OPORTUNIDADE é o que falta

Renata disse...

Thá, eu entendo seu medo. De verdade, porque também tenho filhas e temo por elas. Agora, preciso te lembrar que a situação aqui hoje não é pior do que aquela que você deixou quando foi embora. Crimes como esse que matou o menino do Rio de Janeiro vêm acontecendo já há muito tempo. A situação não descambou de repente. Essa violência já está instaurada há tempos, já estava instaurada quando você vivia aqui. Só que só de tempos em tempos é que a gente abre os olhos pra ela e se permite um momento de indignação. Não porque não aconteça todos os dias, não porque não acontecesse antes. Apenas porque a vida segue, e a gente vai tocando, e esquece. Infelizmente esquece.
Sobre o que podemos fazer, também ainda não sei. Tenho pensado muito nisso (não só depois da morte do menino, mas já há um tempo) e anida não encontrei respostas.

Simone disse...

Concordo com a Rê.
Eu tb não sei o que fazer. O que eu acho é que não podemos deixar de viver, sermos nós os prisioneiros e deixar o pânico se instalar.
Agora, violência acredito que tenha em qq lugar, em maior ou menor proporção.

estrangeira disse...

Eu tb mudei de opiniao, de uns tempos para ca. Eu sempre fui defensora dos direitos da infancia e sempre me incomodou muito o modo como algumas pessoas encaravam as criancas como adultas antes do tempo apenas por causa de sua conduta "indesejavel". Isso me incomodava principalmente no ambiente educacional onde sempre trabalhei. Esse meu sentimento extrapolava as paredes das escolas e alcancava as ruas, as criancas dos sinais, os meninos que cheiravam cola etc. Porem, estando agora em outro contexto, vendo outra realidade, tentando entender novos dilemas sociais, outros conflitos vividos por criancas e adolescentes, cheguei a triste conclusao de que uma crianca ou adolescente que se torna um assassino ja havia deixado de ser crianca ha algum tempo. Hoje encaro os meninos e meninas que, embora tenham pouca idade, sao capazes de tirar a vida de outra crianca, um adulto ou um velho, de forma diferente. Essa crianca ja perdeu toda a singeleza e inocencia que a infancia pode ter e, ainda que isso seja resultado de sua propria vitimizacao, se tornou adulta perigosa e como tal deve ser julgada. Eu sei que a realidade brasileira e demasiadamente complexa e que nao existem medidas simples, simplistas, nem simplorias capazes de resolver absolutamente nada, mas um garoto de 16 anos que comete um crime ediondo nao pode simplesmente ir pra FEBEM e depois ter ficha limpa ao completar 18 anos.

Ha uns dois dias atras um menino ingles foi condenado por asassinato. Agora ele ja tem 18 anos (ou 19, nao lembro) mas na epoca do crime era menor de idade. Matou duas pessoas. Acho plenamente justo que ele tenha sido julgado tal e qual um adulto. Por que deveria ser diferente? Matar alguem pode ser o mais cruel ritual de passagem da infancia para a vida adulta, mas por outro lado, ver um irmao pequeno ser arrastado ate a morte tambem foi um ritual de passagem para aquela adolescente, que por muito que nao queira, teve e tera de madurecer precocemente gracas a essa crueldade da qual sua familia foi vitima.

Eu nem sei se se deve reduzirir a idade da maioridade, mas uma coisa eu mudaria: 'uma pessoa que seja capaz de cometer um assassinato deveria ser julgada como adulta', independente da idade que tenha, ainda que seja 10 anos!

Pelo menos hoje estou pensando assim, nao sei se algum dia voltarei a pensar diferente.

flores na janela disse...

Olha o que fazer ainda é uma duvida muito grande mais temos que pensar sim sempre na proteção de nossos filhos e já começamos criando eles para serem pessoas de bem, continuo a favor da pena de morte, em outros países os crimes não acabaram mais diminuiram sim, e quem sabe esses covardes do nosso país não comecem a sentir medo.
Não adianta não querer voltar para o Brasil Thá pois violência mora em todos os lugares.
Bjks
Volta sim vai! Por favor!

thais disse...

sabe, o brasil está na merda há muito tempo, mesmo.
mas EU não reparava.
agora, depois de morar onde eu posso sair com a máquina fotográfica (que eu tinha medo de levar pra qq lugar), as duas crianças, bolsa com dinheiro e tudo o mais, eu não sei mais o quanto eu aguento voltar, não.
viver morrendo de medo, como a gente ficou no Natal, não é legal.