18 de jan de 2006

cortando o cordão parte ll

Tá, ela voltou. Graças a Deus.
Me viu na loja, falou "oi", me abraçou e beijou. Que delícia!!
Ficou bem. Neeeeem lembrou que tem mãe e pai, segundo a minha mãe.

Eu reclaaaaamo que ela é grudada demais, que é manhosa, que não dorme, que isso e aquilo. Mas que falta ela fez!!! Meu Deus! Como pode? Até sonhar com ela, eu sonhei. Não lembro o que foi, mas lembro dela, de vestido cor-de-rosa, pequena, ainda, quase sem saber andar...

E eu, que juraaaava que queria que ela crescesse, virasse uma mulher....
Fiquei aqui, com o João no peito e a Melissa na cabeça. Haha. Nem consegui curtir os primeiros momentos de filho único do João.

Foi tão difícil parar de pensar nela... Desde que eu engravidei, ela foi compania constante. Sempre. O máximo que eu fiquei longe dela foram 2-3 horas. O máximo. E foram 3 vezes: uma vez, quando ela era pequena e foi com o Bhuda na casa da mãe dele, uma vez quando ela foi na casa de uma tia do Bhuda com a minha sogra e na aula de fotografia.

Eu QUERO, sim, que ela conquiste a independência, que se sinta segura o bastante pra dormir fora de casa, pra saber que eu estarei esperando ela voltar.
Mas isso machuuuuuca..... É uma dorzinha chaaata, que não vai embora, porque é um caminho que não tem volta. Ela vai crescer, como está crescendo. Mas é uma dorzinha boa, que me faz lembrar o quanto eu sou abençoada por poder ficar com ela e ver o quanto ela está crescendo dia a dia, hora a hora, minuto a minuto.

Já dei o primeiro passo. Já vi que ela está bem e que gostou. Já aceitei que ela vive sem mim.
Só preciso aprender a curtir os momentos sem ela.
Oh, man. Eu vou.

5 comentários:

Bhuda disse...

thá thá... foi a pior noite da vida (tdbem q dormi por tava pregado da viagem) mas ela naum saiu da cabeça... ficava pensando se ela iria dormir bem, se o travesseiro tava bom, se o "caincu" dela tava bom... ai ai ai...

menina dos cabelos amarelos disse...

yeap, baby! you will!!! foi só a primeira noite, queridos. vocês se acostumam, porque no fundo não é uma perda, como parece. palavra de gente grande: você vai ser sempre o porto seguro dela. por mais independente que ela seja, por mais que goste de dormir fora, de viajar, de ver as coisas, de sair por aí, ela sempre vai voltar. e na casa da Vó Meire ou estudando na Itália (vai saber, né?), os pensamentos dela vão estar com vocês também. mas, que até eu que sou tia-de-mentira-e-distante senti a dorzinha de ver a Mel crescendo, senti! = ) é assim, faz parte. que bom que ela tá crescendo bem. beijo, gosto demais de vocês.

MAGRA EM SETE MESES!!!!! disse...

eita!!!
que mãezinha mais manhooooosa...risos...
Calma Thá, tem chão até o corte do cordão...risos....
Eu não sou assim como v., mas a grande maioria das mães é assim.....que barato!
A Marcella dormiu aos 2 anos de didade pela primeira vez na vida , foi no dia que a Naná nasceu...achei o máximo, de lá pra cá tem sido assim....ela é tão independente, mas as vezes queria que ela me preferissi do que ao mundão, faz parte...
bjs
to morena já.....
e 4 kgs. mais magra!
eba!
bjs e mais bjs
*Sô*

Michela disse...

Ai, Thais... vendo vc assim eu imagino o que a minha mãe deve estar sentindo nesses últimos dias... ela não demonstra muito, mas de vez em qdo solta algumas... mas eu e ela tb sempre fomos assim, vivi a vida toda com ela, todos os dias, dividi todos os meus momentos com ela, e ela é quem me faz sentir capaz, com força, segura... pq ela q me ensinou quase tudo q eu sei... e vai ser assim com vcs duas tb, vc sempre vai ser uma das duas pessoas mais importantes da vida dela e mesmo no dia que ela sair de casa, vai te amar e carregar pra sempre tudo o q vcs passaram juntas!!!

Bjo!!! T adoro!!

Pira disse...

êeeeee Corujões!!!!!!!!!!