29 de jul de 2005

Ui...

Esses dias a gente viu um filme chamado "Obsessão" (Loverboy, originalmente).
Fala sobre uma mulher que é obsecada com a idéia de ter um filho que, quando consegue, tudo é sobre o filho. Ela é tão louca pelo filho que não deixa ninguém chegar perto, nem ele ir pra escola, nem ter amigos,... enfim, nada. Claro que ela era uma super mãe, que fazia de tudo, o tempo todo, mas não queria tirar o menino de debaixo das asas.

Tenho medo de ficar assim.

Logo que a Melissa nasceu, a gente ia colocá-la numa creche perto da USP, pra eu poder amamentar e ficar com ela. a gente visitou todas da região. E, no final, decidimos não colocá-la em creche nenhuma.
Aí a gente pensou "quando ela fizer um ano...". E ela fez um ano. Mas era outubro... então fica pra fevereiro. E a gente veio pra Vinhedo, em novembro. Visitamos várias escolinhas e.... nenhuma era boa o suficiente.
Mesmo na natação, que ela fazia comigo ou com o Bhuda. Quando sugeriram mudá-la pra turma sem pais.... nossa..... Eu sofri mais do que deveria, já que é só meia hora e eu fico lá do lado, olhando o tempo todo. Consegui superar isso. Agora já acho legal ela ir lá, com a tia, ficar rindo e brincando.

Mas confesso: tenho medo. Medo dela crescer rápido demais.
E confesso outra coisa: eu ficava super orgulhosa quando ela só queria a mamãe. Claro que ficava.

Tem tantas coisinhas lindas que ela faz... Quando ela canta, meu Deus.... eu esqueço de filmar, de tão boba que eu fico.
E quando acaba um filme, de noite, e ela levanta correndo, pega a girafa, o edredon e fala "vamo naná".
E quando ela fica com ciúmes do João e manda deixar o menino deitado em algum lugar e me chama pra deitar com ela.
Quando ela chega pelas minhas costas e me abraça e fala "abraço Poko". (é de um desenho que ela vê. O menino, Poko, fica triste e abraça o macaco pra ficar feliz. Aí ele fala "abrace o macaco, abrace apertado, abrace o macaco até ter melhorado." Eu sou o macaco?).
Quando ela tira a meia, esconde e fala "cadê meia? Onde tá? Tá lá. Mamãe, pega.". Hehehheheehehhee...

Agora, ainda tem o João.
O menino fica fazendo aqueles barulhinhos de neném o dia inteeeeeeiro... e eu acho a coisa mais gostosa do mundo. Fico só ouvindo....
E aquela mão pequeniniiiiiinha, segurando minha camiseta enquanto mama...
Aquela bunda cheia por causa da fralda... Tudo tão gostoso.....

Ai, como não quero que eles cresçam......
Mas eu quero que eles cresçam. E sejam felizes. E deixem eu e o Bhuda ir jantar sozinhos em paz, ir ao cinema, em shows.....
Mas eu não quero.................

É, acho que preciso de terapia pra não ficar igual à mulher do filme.

3 comentários:

Bhuda disse...

moreco, eu tb naum quero que eles fiquem grandes, nem amadurecam, nem nada... mas neh...

o mais inportante é q estão e estarão para sempre em nossos corações e sempre serão os nossos bebês, certo?

sempre será a melissa e a girafa e o joão e a mãozinha dele...

bjoks..

Re disse...

Thá, vc não precisa de terapia não, sossega, mulher! Ou então eu tb preciso de terapia... rs... putz, eu tb tenho essa sensação de olhar pras meninas e querer ao mesmo tempo que elas cresçam pra viverem suas vidinhas e serem felizes, e que não cresçam pra ficar sempre no meu colinho, sempre precisando de mim, sempre abrindo aquele sorrisão maravilhoso qdo me vêem... deu até um nó aqui dentro agora, só de pensar... mas é isso... a gente cria os filhos pro mundo, não pra gente... por mais que seja difícil, chega a hora de deixar ir. E eu não tenho dúvidas que vc vai conseguir, sendo a mãe que vc é. Tá, vc pode até ir dar uma choradinha escondida no quarto... rs... mas vc consegue! Bjoca...

Michela disse...

Q lindo!!!
Tb quero sentir isso um dia!!!