18 de set de 2013

português

eu vi um vídeo, agora há pouco, sobre a importância do português brasileiro pras crianças expatriadas.

sempre que eu leio/vejo algo sobre o assunto, a mesma tecla me incomoda.
"finge que não entendeu, se falar em outra língua"
"TEM que falar português"

tipo..... claro, é legal falar as duas (ou três, ou quatro, ou quinhentas) línguas. só quem sofreu muito pra aprender uma segunda língua vai entender isso. mas, né....

eu tentei, por umas duas horas, fazer isso de "não entender" quando eles falam em outra língua. isso no japão.
tentei porque não queria que eles "perdessem" o português, já que falavam boa parte da conversa em japonês.

não consegui.
e nem tentei de verdade. porque eu prefiro que eles saibam que eu vou entendê-los, falem a língua que quiserem. não quero limitar a conversa porque eles não estão afim de falar a língua x, não quero que eles sintam que eu não quero entender o que eles falam e, pior, não quero mentir pra eles.
até porque, se eles falassem, digamos, grego, eu ia me esforçar ao máximo para aprender e conseguir conversar com eles.
eu quero conversar com eles, quero entendê-los e quero que eles me entendam, seja na língua que for.
quero que eles sintam a liberdade de falar comigo na língua que for.

eu gostaria, sim, que eles falassem mais em português. é a língua mãe deles, é a língua da família deles, é uma língua tão, tão linda!

mas não vou obrigá-los a na-da. eu quero que eles queiram entender e falar, não que sejam obrigados, que seja mais uma coisa chata que eles têm que fazer.

eu falo em português, em casa ou fora, desde que todo mundo com a gente fale português. eles respondem como quiserem. se eles entendem o que eu falo, vão conseguir se comunicar. quando eles sentirem a necessidade ou a vontade de falar, eles vão. se eu não entendo, eles repetem. e repetem. e uma hora, eles traduzem. mas não faço isso quando entendo.

eu falo inglês. e falo japonês. eles sabem. eles me vêem conversando com os outros.

imagina se eu entendo os outros e, quando eles vêm falar comigo eu não "entendo"?

não consigo entender essa lógica.

Um comentário:

Thaís Helena disse...

oi Thaís,
estás coberta de razão. não deixaria que meus filhos ficassem pensando que não quero entende-los para que sejam obrigados a aprender uma língua. acho que tudo virá a seu tempo, daqui a pouco eles estão mais velhos e sentirão curiosidade pela língua mãe, e terão a certeza e a confiança de aprende-la com você!
beijão!