14 de mar de 2012

estando bom pra mim, né.....

acho um sa-co isso. um saco enorme.

sabem uma campanha contra a proibição da publicidade infantil? nem cabe dar nome aos bois porque a campanha é muito mal feita, mal pensada, com argumentos fracos, "grosseira e infundada" (da pérola).
mas enfim, tu-do o que se fala lá na página vem com uma resposta do tipo "você é um perfil fake e seus comentários serão deletados" ou "desliga a sua tv e vai cuidar dos seus filhos que acaba o problema".

argh. dá nojo.

meus filhos não vêem tv. fora o zé, que assiste uma hora de tv por dia, os outros dois estão há umas 3 semanas sem ver nem um minutinho sequer.

fora que eu nem moro no brasil e foda-se, né, a regulamentação por aí.

mas não. eu não consigo.
eu lembro. e eu sei como é.

quando a gente morava aí e o zé tinha acabado de nascer, joão e mel não iam à escola. eu tinha 3 crianças abaixo de 4 anos, duas gatas meio malucas e uma casa para cuidar. acabava que os maiores viam muita tv. muita, mesmo. e dava raiva porque tinha 5 minutos de programa e 5 de propaganda.
me dava raiva. e meus filhos nunca foram do tipo que saem pedindo tudo o que vêem. eles podem querer, mas sabem desde pequenos que brinquedo é até o limite da caixa e só se ganha em datas especiais.

se eu, que nem trabalhava fora, "precisava" da tv para descansar ou fazer o que eu tinha que fazer, imagine quem não tem outra opção? tem muita gente por aí que precisa fazer milhões de coisas, trabalhar fora, sei lá, e deixar os filhos em casa. melhor "seguros" dentro de casa vendo tv do que jogados por aí.

ah, e nem me venham com "era melhor nem ter tido filho" bla bla bla porque entra em outra discussão.

eu acredito, sim, que publicidade voltada ao público infantil é injusta, covarde e PODRE. e quem defende é igual, né, senhor "turma da mônica" e o outro senhor "palavra cantada". foram banidos da minha casa, os dois. nojentos.

publicitários querem vender um produto, tem que convencer os pais de que os filhos precisam disso e daquilo, não a criança. criança não tem discernimento para saber se precisa ou não daquela coisa para ser uma pessoa melhor/mais feliz/bonita/legal.

e aqui também existe a publicidade infantil e descarada. tão nojenta como. no japão também. blergh pra vocês. só que as crianças daqui não vêem tanta tv como as crianças brasileiras.

ah, e para quem acha que é só os pais dizerem não, eu concordo. é só falar não.
mas pra quê, hein? falar não e explicar o quê? o capitalismo? a publicidade nojenta? para uma criança pequena? claro. vai entender tudo.
e olha que eu falo não direto e reto, mesmo sabendo que não é o ideal. eu acho que existem muitos e muitos momentos durante o dia em que a gente, como pais e educadores, precisa fazer uso do não. momentos importantes. agora, a cada 5 minutos falar não 10 vezes por causa das 10 malditas propagandas do intervalo? pera lá, né. invalida os "nãos" importantes.

vai vir pra cima de mim, vai ter que ter argumentos melhores, muito melhores.....

--------------------

e outras mães (e pais) que se sentiram ofendidos, como eu, estão discutindo sobre o assunto na página Infância Livre de Consumismo, no Facebook!

7 comentários:

ju m. disse...

nossa, não entendi essa do palavra cantada e da turma da mônica! também, não vejo TV, né? mas, olha, eu AMAVA ler os gibis da Mônica... gostava tanto... que acontece?

thais disse...

os dois senhores, que eu tb curtia muito, deram entrevistas em prol da propaganda direcionada às crianças. um deles ainda disse que, com carinho, tudo vale. como assim? não aceito.

Thaís disse...

perfeito, xará!
onde eu assino?
bjs
tha

Maíra disse...

Eu não vi essa campanha a favor da publicidade infantil, tô totalmente por fora desse assunto. Mas eu concordo, acho podre propaganda voltada pra criança. Sempre que estou vendo TV e passa alguma coisa do estilo meu sangue chega a ferver. Eu também adoraria que meus filhos não vissem TV, mas eu sei que isso vai ser dificil, afinal, infelizmente, eu não vou poder ficar com eles o tempo todo e mto menos morar num lugar onde eles tenham atividades o suficiente para que ñ vejam TV (tipo uma fazenda ou lugar do estilo), quem me dera! Mas eu acho que pelo menos dá pra selecionar alguns DVDs e colocar para a criança, pelo menos assim evita-se as propagandas.

Olha, e sobre o Mauricio de Souza, eu sempre gostei da Turma da Mônica, mas vamos combinar que tem MUITA coisa escrota nos quadrinhos dele e na forma dele ver o mundo né? Pelo menos é o que eu acho. Os únicos quadrinhos dele que eu REALMENTE gosto e que faço questão que meus filhos leiam são os do Horácio. Mas não me impressiona nem um pouco ele defender as propagandas.

Bjos

Mari disse...

Eles vivem disso. Fazem um produto, vendem, precisam da propaganda. Vão convencer quem, adulto? Criança é mais fácil. E por aí vai.
O único menino que eu conheço que NUNCA assistia tv é o molequinho que eu cuidava. Mas também, era filho único, 2 anos de idade e tinha eu à disposição o dia todo. Aí não vale ne?
Será que não tem um aparelhinho para plugar na tv que a deixe em neutro quando é hora de propaganda? Tipo, uma tela preta ou coisa assim?

Carol Valente disse...

Muito legal seu texto. Passarei por aqui com frequencia :)

Carol
mepari.blogspot.com

Debora Regina disse...

Clap, clap, clap!!! Conseguiu expressar "com classe" tudo o que eu tb penso. Amei o texto Tha!