15 de jan de 2011

era uma vez....

1 pato.


ele viu uma família se mudando. foi ver qual era a dessa família.
no primeiro dia, ganhou pão integral com grãos orgânico picado, que era jogado por uma família alucinada.
resolveu ir no dia seguinte. ganhou mais pão bom. no terceiro dia, apareceu com 3 filhotinhos.
ganharam 2 fatias do mesmo pão bom.

auckland
e continuaram indo por mais uma ou duas semanas. sempre a mesma coisa: come, caga e some.

na terceira ou quarta semana, apareceram com um outro pato maior.
a família começou a chamar o pato que veio primeiro de "mãe" e o maior de "pai". também começaram a dar apelidos para os filhotes: bebê, filhote e grande.



a "mãe" era bem invocada: comia todos os pães que eram para ela e uma boa parte dos outros. quando o "pai" pegava um pedaço, ela bicava o coitado. quando um filhote pegava um pedaço jogado para ela, ela bicava.
no primeiro dia em que o "pai" foi junto, ele quase não comeu, de tanta bicada. ficou com os pelos eriçados e meio de lado.
a família ficou brava e foi falar com a "mãe". mas ela não parou.
é desconfiada. a mais desconfiada.

o "pai" é grande e tem a ponta do bico amarela (o da mãe é pretinho pretinho). como a família descobriria mais tarde, é meio manco. não se sabe se ele está machucado ou se nasceu assim, mas ele manca. por isso, não consegue correr e pegar os pedaços que caem longe e sempre come menos. o pai da família se identificou: ele operou os joelhos, alguns anos antes. a família começou a oferecer o pão para ele na mão e ele aceitou. foi o primeiro a vir comer direto da mão da família.

o "bebê" também come pouco. se enche de pão e fica ao fundo, tentando engolir/digerir/o que quer que seja que ele ficava fazendo. mas também não se sabe se ele fica cansado, mas depois que senta, ele não levanta. só come o que for jogado bem pertinho dele, a distância de um pescoço. ele é bem menor que os outros dois. ao longo das semanas, ele parece ser o único que não cresceu.

o "médio" é médio. nada muito a dizer. corre rápido, come muito. também passou a comer da mão da família, mesmo com a "mãe" bicando e dizendo "não faz isso, filho!".

o "grande" está quase do tamanho dos patos adutos. e come como eles. por ser grande, forte e saudável, come mais que quase todo mundo - porque a mãe come mais. também come na mão da família e nem leva bicada.

um dia, o "bebê" apareceu sozinho na casa da família. a família deu pão, mas ele não comeu muito, como de costume. e estava assustado. o pai da família tentou pegá-lo, para colocá-lo na garagem, longe do alcance dos gatos, mas ele fugiu por debaixo da cerca.
a "mãe" apareceu nessa tarde e ficou sentada n quintal por horas e horas, esperando seu "bebê". mas ele não veio. o "pai", o "médio" e o "grande" comeram, cagaram e foram dar mais uma procurada pela vizinhança enquanto a "mãe" esperava. quando voltaram, convenceram a "mãe" de que era melhor ela voltar para casa ou ir procurar em outro lugar.
de madrugada, chorou. a mãe e o pai da família foram procurar o "bebê" com lanterna, mas só conseguiram acordar os vizinhos. nada de "bebê".
na manhã seguinte, apareceram os 5 patinhos juntos, para pedir pão.

alguns dias depois, a família de patos apareceu sem o bebê de novo. e no dia seguinte. e no outro. foi em algum desses dias que os patinhos começaram a comer na mão da família. e também nesses dias que eles passaram a bicar a porta e a janela da casa para chamar a atenção da família.

hoje, só apareceram 3 patos: o "pai", o "grande" e o "médio".
e na caixa de correio da casa tinha um jornal circular com a matéria de capa falando sobre uma doença que paralisa os patos e os mata aos poucos. aparentemente, na região, foram mais de 40 patos mortos em 3 semanas.
a família só pode, agora, torcer para que estejam e fiquem bem.

8 comentários:

Rêêê!!! =3 disse...

Aaaai que legal!!!! :D
Que visita diferente! XD

Mas que pena essa doença nos patos.... ._.

Maíra disse...

Ai que dó dos patinhos....
Mas vcs fizeram bem em cuidar e dar alimento a eles.

Coloquem uns potinhos de água pra eles beberem também.

Beijos

Mári disse...

Que lindo!!! Apesar de morrer de medo de aves, acho patinhos tão bonitos... que pena essa doença, tomara que estejam todos bem.
Então é comum essa pataiada toda por aí? Aqui tem esquilo o ano todo, e no verão também tem castor, coelho, gambá fedido, raposa... e depois é no Brasil que a gente mora na floresta ne? Huahauha

ju m. disse...

ué, e o filhote??? não era a mãe, o pai, o médio, o filhote e o bebê??? o filhote e o bebê sumiram??? jura??? ai, que dó! :(

Tathi disse...

Ai que jeito sensível de contar a história! Amei, Thá!!!

Espero que os patinhos estejam bem!

Beijos!

Pammy disse...

que lindo familia estranha que alimenta patos selvagens rsrsrsr.
Espero que esteja tudo bem com eles, mais que doença estranha essa né.
bjs

mae disse...

Incrível como a família de patinhos se parece tanto com a família que os alimenta...rsrsrs
Já pensou nisso?

bjs
amo vcs

Tati Tamie disse...

Ai, que dó....