29 de jan de 2007

Não me agüento.... parte ll

Muita coisa no nosso mundo, que só diz respeito a nós (cada um como indivíduo, ou cada família), hoje em dia não cabe a nós decidirmos.
Muita coisa, mesmo.

Por exemplo, vacinas. Quem acha que o filho deve tomar porque não deve pegar sarampo ou caxumba ou qualquer outra coisa, que dê todas as vacinas.
Quem acha que o filho deveria tomar só algumas, como a anti-pólio, deveria ter a opção de dar somente as que acha certas. E quem acha que os riscos das vacinas (e sim, eles existem e são muitos) não compensa nunca, deveria ter o direito de não dar.
Mas não. Hoje, pelo menos no Brasil, somos obrigados pela lei, todos, a ter todas as vacinas carimbadas e assinadas no cartão.

Claro, existem outras milhares de coisas que eu poderia citar, mas vou escrever especificamente sobre o aborto.
É uma coisa que eu tinha que ter escrito antes, mas só hoje eu tive vontade.

Eu sou a favor da LEGALIZAÇÃO do aborto. Para tudo e para todos. Em qualquer caso.
Existem vários motivos. Vários. Eu poderia ficar aqui escrevendo por diiiias....
Mas enfim, é o que eu já escrevi: deveria ser uma decisão tomada pelos envolvidos diretamente. Não por um juiz ou por um grupo de pessoas.

Tá, o feto existe, é um ser humano. Mas um ser humano que não sobrevive fora da mãe.
E eu acredito no poder de decisão das mulheres, dos casais. De quem vai cuidar. Porque ter filho dá um trabalhão, custa caro, exige muito física e emocionalmente.
Ainda se as pessoas tivessem um sistema público (de saúde, de educação, de transporte) dignos e todos tivessem condições de criar uma criança... Mas a gente sabe muito bem que nào é assim.
Ninguém vai engravidar só pra fazer um aborto pra experimentar. Não vai. Não é uma coisa agradável, nem bonita.

E tem mais: quem tem dinheiro, faz. E faz bem, num lugar seguro, limpo. E ninguém nem fica sabendo.
Quem não tem dinheiro, faz. Com Citotec, com cabide, com agulha de tricô. Aí perde o útero, tem hemorragia, morre, pega uma infecção, enfim. Não é injusto? Não são todas mulheres, com direitos iguais? Então todas deveriam poder tomar essa decisão. E ter apoio.

Sim, vai ter muita gente usando aborto como anticoncepcional quando e se a legalização ocorrer.
Ms eu digo: NADA no mundo que tenha sido feito com uma finalidade nobre, só foi usado para essa finalidade. NADA.

Se eu faria?
Não sei. Mas essa decisão, a meu ver, cabe a mim e ao Bhuda. E a ninguém mais.

5 comentários:

Rebeca disse...

Se eu entendo que certas mulheres não têm estrutura (física e psicológica) para um parto normal e optam pela cesa eletiva deliberadamente eu tb me obrigo a entender quem faz um aborto pelas agruras da maternidade, mesmo.
Não apóio, não opino, não ajudo, não julgo.
Sei só que minha consciência espiritual não me deixaria fazer um aborto, jamais.
Mas cada um que decida por si e estamos combinados.
Bjm pra ti.

Viviane Ribeiro disse...

Muito complexo ...
São muitos problemas envolvidos são.
Mas ser a pessoa que vai decidir colocar um ponto final na vida de outra pessoa? Não temos esse direito.

Bjs

Regina disse...

Polêmico isso..., só posso dizer q não faria...

Anônimo disse...

clap, clap, clap...
penso igualzinhooooo
quem quer vacinar, vacina, quem não quer não vacina, eu optei por vacinar porque o meu entendimento é o de proteger dessa forma, assim como quem não vacina também tem a intenção de proteger contra os efeitos colaterais ou porque entende que não é necessário....
mas cheguei a essa conclusão depois de muito relutar...
bom o aborto, sou a favor desde que tinah 15 anos e minha vizinha com 14 colocou citotec na vagina pra abortar e a gente teve que socorrer ela porque a mãe não tava em casa e vi aquele feto na privada.....era menino!
a menina não tinha a menor condição, a casa deles era pequena, moravam de favor, essa menina que abortou tinha outros 10 irmãos, ela nem tinha o primeiro grau ainda....e quase morreu, o feto tinha uns 3 ou 4 meses...foi muiiiiito triste, muito mesmo, a gente teve que ajudar a recolher o bb. do vaso....não gosto de lembrar.....
só pelo fato dela ter quase morrido....por todo o trauma que ficou com ela, tudo o que ela passou no hospital por ter abortado, e por todas as coutras que morrem sob as mesmas condições....devia ser seriamente reavaliado...de verdade....
Acho que quem decice somos nós, Deus está do nosso lado, acredito Nele, mas acredito que Ele nos deu o livre arbítrio....
afinal quem cria somos nós e não o governo....
uma pena o Brasil ser assim, a igreja também....
um beijo
*Sô*

flores na janela disse...

Sábias palavras, eu concordo e sempre achei que deveria ser legalizado, mais como nada funciona logo de primeira muitas mulheres ainda vão morrer, muitas coisas vão rolar e acho que só assim nosso governo vai poder enxergar que nem tudo que é bom para a sociedade é bom parauma unica pessoa, acho que deveria existir o direito de aborto sim.
Mais eu não faria!!!!!