22 de ago de 2006

Paranapiacaba

É muito legal.
Passamos metade do tempo com neblina e metade sem. Mas não pensem que foi metade do dia com neblina e a outra metade sem. Porque não foi. Davam 5 minutos de uma puta neblina e depois, como mágica, ela ía embora.
Isso foi muito legal. A turma da Riguardare, também, super sossegada. As crianças foram estrelas.

Tiramos um absurdo de fotos, mas percebemos que foto noturna é o ó. Muito difícil. Precisa de tripé, queira ou não. Era pouco tempo, tipo 1 segundo de exposição, mas não dá pra ficar absolutamente parado. Eu achava que conseguia, mas.... Não dá. Snif snif snif.

De dia, a cidade fica totalmente diferente. Essa foto é da mesma casa da anterior, só que de um ângulo um pouco diferente. Mas a mesma casa.
Nos minutos de neblina, a coisa é muito engraçada. Não dá pra enxergar 1 metro pra frente. Aí o campo de visão vai aumentando, aumentando, até que, isso em menos de um minuto, dá pra enxergar até o infinito.

As casinhas são todas simples, de madeira. A maioria da mesma cor. Os portões todos de madeira já cheia de musgo. Muito cachorro, pra lá e pra cá. Em todo lugar.
E muito restaurante. A comida, em si, é boa. Mas não é assim.... Uma coisa maravilhosa. As pessoas, em sua maioria, são muito simpáticas (e têm que ser, porque a cidade vive do turismo). Não tem caixa eletrônico em lugar nenhum. Se for pra lá, leve dinheiro. Mas o céu é muito estrelado e é perto de São Paulo. As ruas são de pedra ou de terra. Bem charmosa. Cidade de interior, parece.

E agora, minha foto favorita.

Nenhum comentário: