18 de ago de 2005

O aniversário

Acordei e fui pro banheiro. Olhei o espelho e um bilhete colado no meio de uma declaração de amor. Pensei "O dia vai ser bom!".
Olhei no relógio e vi 9:10. Mais uma vez, "Caraca, o dia vai ser bom".
Deitei o João no sofá e a Melissa no colchão da sala, fiz o leite dela, troquei a fralda dos dois, fui tomar meu leite, liguei a máquina de lavar roupa e vim pro computador. Deu tempo de olhar todos os blogs, comentar os com posts novos, ler e-mails, ver as mensagens do Orkut. Fui deitar do lado da pequena, no colchão. Ela me abraçou. Ficamos lá por uns 20 minutos. João reclamou, fui pegar o bicho pra dar de mamar. Ele mamou. E fez um cocô daqueles. Vazou pela frente,por trás e pelos lados. Maravilha! Tem roupa deles na máquina, agora. Troquei o menino correndo e coloquei a roupa na máquina. Troquei a fralda da Melissa, de novo, que ainda está deitada. Fui arrumar a mochila e separar as roupas pra gente ir almoçar e dar uma volta no shopping. Aí, os dois choraram. Peguei o João, chamei a Melissa e fui pro quarto. Ela não vem e fica chorando. Voltei, peguei no colo, levei pro quarto, coloquei na cama. Ela continuou chorando. E pensei "Ah, começou tão bem.... não via ficar ruim agora". Expliquei o que eu estava fazendo, conversei e ela foi acalmando. João dormiu na cama.
Dei almoço pra ela. Não comeu NADA.
Troquei a minha roupa, a dela e ficamos esperando o Bhuda. Ela foi deitar no colchão e começou a chorar pedindo leite com chocolate. Falei que não, que a gente ia passear. O Bhuda chegou e ela continuou pedindo. Não demos e saímos.
Os dois dormiram no carro.
Chegando no Outback, pedimos a cebola. Comemos. Pedi minha salada e a batata recheada. O João começou a gritar. Ele não parava. Nem no colo, nem no peito, nem de jeito nenhum. Tive que ir pro banheiro, pra tentar acalmar o bicho. Demorou uns 20 minutos, mas ele acalmou. Voltei pra mesa. Comecei a comer a minha salada, correndo. A Melissa começou a chorar. O Bhuda tentou acalmar a menina, mas ela não acalmou. Pedimos a conta e fomos embora. Nem comer eu consegui.
No carro, ela ficou chorando que queria o edredon e ele tinha ficado em casa. Foi chorando metade do caminho. Dormiu no resto.
Em casa, João teve outro ataque. Tiramos a roupa dele e o Bhuda foi passear com ele no sling. Ele não parou. A Melissa foi atrás, sem roupa, também, claro.
E eu fui fazer meu bolo. Que triste. Fiz. Dei de mamar pro João, que não mamou, mas acalmou só de vir pro meu colo.
Lembramos que a gente precisava ir ao mercado. Fui colocar uma camiseta na Melissa e ela começou a chorar e reclamar que estava doendo. "Onde, filha?". Ela apontou a barriga. "Na barriga?". E ela apontava no pé. "No pé?". E ela apontava a cabeça. Enfim, ela apontou em todo lugar que existia. Coloquei a camiseta e fomos. João dormiu no sling, no mercado, mesmo. A Melissa ficou bonitinha. Dormiu no carro, a 2 minutos de casa. O Bhuda deitou a baixinha no colchão da sala e ela ficou.
Fui colocar o João pra dormir, mas ele acordou. Então, aproveitei pra encher a banheira e dar banho. O Bhuda chegou e foi dar banho. João chorou do começo ao fim. Fui colocar o João pra dormir. Dormiu rápido. O Bhuda, achei eu, tinha ido decorar o bolo. Quando cheguei, ele estava me esperando pra decorar o bolo. Quase dei um soco nele. Ele foi decorar o bolo, eu fui acalmar o João e depois, ler a revista que a gente comprou.
Bhuda terminou de decorar o bolo e eu pedi pizza. Ele foi comprar. Quando ele chegou, a Melissa acordou chorando. Mas quis ir comer a pizza. Fomos. A Melissa comeu só as azeitonas e começou a chorar que queria mais (mas nem tinha). Não quis mais comer e foi deitar. Deitada, começou a chorar me chamando. Fui lá e gritei alguma coisa do tipo "Que é, Melissa? Eu estou comendo! Você vai ter que esperar!". Ela virou pro ladinho meio chorosa e aquilo me cortou o coração. Até perdi a fome.
Terminei o pedaço de pizza que eu estava comendo e fui lá deitar com ela. Ela ficou me empurrando. Eu saí e ela começou a chorar. Deitei de novo.
O Bhuda arrumou a mesa pra gente cantar parabéns, mas ela ficou fazendo manha.
Ficamos esperando ela parar de manha. Fomos pra mesa, cantar parabéns. Ela ficou comendo granulado e neeeeem tchum. Eu estava péssima.
O Bhuda deu banho nela, voltamos pra sala depois fomos dormir. Um horror.

Obrigada, Angelo, por ter tentado. O dia tinha tudo pra sair perfeito. Não foi, paciência.
Eu fiquei triste porque eu espero taaaaaaanto essa data....

7 comentários:

Viviane disse...

Nossa Thá, coitada de você, que trabalheira!

Logo ontem, ah não!
Parece que não deu nem prá tirar foto né? Inventa outro dia pro aniversário, comemore de novo, não é a mesma coisa eu sei, mas de repente ia ser legal . . .
Beijos e ânimo
Viviane Ribeiro

Anônimo disse...

Amiga, o que psso te dizer?
que passo pelas mesmas coisas todos os dias, mas a Naná melhorou muito, melhorar melhora essa trabalheira toda, mas outros problemas estressantes que não haver com o físico e sim com o mental aparecem, como disputa de brinquedos, manhas piores que são pra atormentar o psiclógico de qq.ser humando, interferência e mexericos da família, porque a Marcela fala e fala muito, coisas que nem existem e a gente que tem que segurar a boiada porque ela não tem noção do que ta fazendo,apenas que ta manipulando as vontades dela, que fazem o que ela quer....
Mas é gostoso, apesar de tudo égostoso...e v. sabe que a gente vai morrer de saudades desses momentos....da carinhas, dos carinhos, das birras, manahs e vai rir disso tudo...
o lance é eternizar as coisas boas e deixar as ruins de lado...tempo pra comemorar v. vai ter de sobra....o resto da vida...
é foda eu sei, mas calma, eles chegam lá!!!
bjs te adoro...
*Sô*

Anônimo disse...

ai...só pra compelemntar...lembra que eu reclamav, reclamava e dizia wue é v. é corajosa? agora v. me entende né?
dois não é fácil, ainda tão pequenos....
precisa ver as moridas que a Naná dá na Marcella...tapas.....isso entristece, mas faz parte do game...
bjs
*Sô*

Bhuda disse...

moreco, sei que não foi o aniversário que pediu, mas estou e estarei sempre ao seu lado...
a idéia da vivi é boa, podemos comemorar depois, não é a mesma coisa mas... podemos tentar...

não desanime, não fique assim...
bjoks

Viviane disse...

É um saco esses dias...mas a idéia é boa...comemora em outro dia, ou melhor, quanbdo outro dia for perfeito..sem choros e manhas, quando ele estiver chegando ai fim e vc estiver sozinha com o Bhuda, pensa assim, esse então e o dia do meu niver...e comemora!

B i a disse...

já sei
já sei
vamos fazer assim,marcamos,aqui em casa ou aí na sua casa e comemoramos =op
xaram....o k achas???eu faço meu super bolo de chocolate com beijinho...a gente canta parabéns e pronto
bjus

menina dos cabelos amarelos disse...

puxa, Thá! que será que deu nesses dois, hein? acho que é por causa do resfriado, não?
mas se lembre se que seu dia é todo dia. é quando eles acordam bem e dão risada, e comem tudo e se divertem, e dormem tranquilos, depois de um jantar delicioso e da companhia do Bhuda. esses são os melhores aniversários, os dias que passam e são especiais sem a obrigação de ser. beijo grande