12 de ago de 2013

coisas que me estressam l

chegando meu niver, mais um pouco de moi pra quem quiser ler.

eu ouço muito - da minha mãe - que eu sou tranquila, não estresso....
mas eu estresso. e muito.

vou listar os 5 tipos de que mais me estressam:
- gente folgada (desde gente que quer que eu faça tudo, passando por gente que estaciona em vaga de deficiente, e indo até gente que pára no meio do corredor do mercado pra atender o celular com o carinho atravessado e não se importa que tem gente querendo passar - ainda olha feio quando você empurra o carrinho pro canto).
- gente sem respeito pelo espaço alheio: que joga lixo na rua (tipo na frente da casa dos outros), que ouve som hiper alto e não se importa com quem é obrigado a ouvir junto, que desperdiça água, que rouba doações, que bate em criança ou bicho, quer que você vá pra igreja junto, etc).
- gente que se faz de surda, tipo as crianças e o bhuda quando não quererm ouvir o que eu estou falando. ou tipo pessoas que se fazem de surda só pra não perderem a discussão.
- gente que, quando não tem o que falar pergunta se está tudo bem (como se eu fosse do tipo que não cala a boca) ou fica perguntando "o quê?" e "que foi?" (como se eu tivesse estressado e ficado quieta por causa disso ou como se eu tivesse falado alguma coisa e a pessoa não tivesse ouvido).
- gente que fala que "não tem jeito", "tive que", "é o destino". porra nenhuma, pessoa, cada um escolhe o que faz.
- gente falsa.

amanhã faço um sobre alguma coisa diferente que me estressa também.

2 comentários:

Mari disse...

Os tipos "gente folgada" e "gente sem respeito pelo espaço alheio" são os que mais me irritam também. Me irrito com gente que vai fumando pela rua, mesmo sendo espaço aberto, porque o meu ar limpo não é separado (quem dera fosse) e sou obrigada a cheirar aquilo também. Eca eca eca. Me irrita profundamente que as pessoas não esperem os outros descerem do ônibus para subirem (aqui em Ctba se desce e se sobe pelas mesmas portas, e mesmo com a recomendação "aguarde sempre o desembarque" o povo atropela mesmo). Saio do ônibus xingando alto mesmo, para que os folgados ouçam. Rsrs. A louca. Mas dá raiva. Também nos ônibus, me estressa que as pessoas se façam de cegas/surdas para não levantar e deixar o assento para quem precisa, mesmo sendo lei. E me estressa que, também sendo proibido, vendedores e solicitadores de doações subam nos ônibus e fiquem distribuindo caneta, livrinho, etc e passando o chapéu depois, acompanhado de um discurso de bom samaritano. Para mim isso não passa de desrespeito ao espaço público, afinal você está num espaço restrito e não pode escolher não ouvir (e é olhado torto até se não pegar o que estiverem empurrando. Mesmo assim nunca pego e devolvo o olhar torto). Desculpa o comentário gigante, me empolguei! Rs.

Thaís Helena disse...

Verdade! As coisas que mais irritam são os invasores do espaço alheio. Particularmente sou muito sensível aos barulhos: gente barulhenta, que grita/fala alto/anda fazendo barulho e o pior, som alto de televisão naqueles programas de auditório/jogo de futebol/novela... algumas categorias de música que nem que eu fosse surda conseguiria gostar...
e, claro, o cheiro de cigarro, fumaça vindo pra cima de mim, é impossível de conviver.
Ainda bem que não sou a única!
Abraços, por um mundo melhor!
:D