8 de mar de 2007

MULHERES!

Hoje é dia das mulheres.
E sem bobeirice, a gente mais que merece. Deveria é ser feriado.
Eu nem vou falar sobre a situação das mulheres pelo mundo, porque, em alguns lugares, chega a ser tão ridícula que eu não sei nem o que falar. E mesmo no Brasil, a coisa é tão feia em alguns lugares, como em Pernambuco. Digo, a situação para as mulheres. Aliás, hoje só vou falar disso, então, subentendam, favor.
Voltando, vou falar mais é da parte que eu conheço, porque vivo. A situação das mulheres de classe média do Brasil.

Mulher sempre sofre. Desde menina. A gente penteia os cabelos, menstrua, tem cólica, tem espinha por causa do ovário com cistos, tem que ir ao ginecologista, fazer mamografia, tem que depilar as pernas, o buço, a virilha. Tem que ser esposa, mãe, filha, irmã, amiga, dona de casa. E ainda não voltou ao peso de antes???
A coisa não é fácil! Ou menstruou cedo ou tarde demais, ou tem bunda demais ou de menos, ou tem filho cedo ou tarde demais. Ainda ouve piadinhas machistas tanto de homens quanto de mulheres.
Se trabalha, é criticada. Dependendo do serviço, então.... Que diga a Simone. Isso quando arruma emprego, né? Porque mulher engravida, tem filho, falta... Sempre um problema! Fora que ganha menos, se sente culpada por trabalhar, deixar os filhos, tem baby blues, depressão pós parto, mommy brain.
Se não trabalha, também é criticada. Imagina, depender do marido? E se ele te larga?
E a gente sooooofre.... até aprender a fazer cara de Monalisa, como alguém bem disse.
Se tem um filho, é pouco demais. Se tem duas meninas, precisa tentar o menino! (o inverso também é válido) Se tem três, puta merda! Não conhece camisinha? Vai fazer ligadura! Quatro, então.....

Mas o pior não é nada disso do que eu já escrevi.
É a gente não saber mais o que é ser mulher. A gente não gosta de menstruar (salvos alguns casos onde os incômodos são muitos), mesmo sendo uma coisa bonita. Mesmo sendo o nosso corpo trabalhando, se preparando para, talvez, no próximo ciclo, vir a abrigar um bebê. A gente não sabe onde são o útero, os ovários. A gente não sabe fazer o auto exame das mamas. A gente nem sabe como funciona um ciclo menstrual, mas sabe como é a dieta de Atkins.
O autoconhecimento perdido por aí é a primeira coisa, a meu ver, que precisa ser resgatada. A gente precisa saber que a menstruação não é suja, o que é corrimento normal e o que não é, que os pequenos lábios são aqueles, que cólica, nada mais é que o nosso útero se contraindo, que o parto natural é o melhor.
A gente se deixou perder em algum lugar e agora toma buscopan pra cólica, anestesia no parto (isso quando tem parto, né. Porque, pra 90% das mulheres de classe média, a coisa vai pra cirurgia marcada, mesmo), implante pra não menstruar, hormônio atrás de hormônio, nistatina pra candidíase. A gente dá NAN pros filhos porque o leite materno nunca é suficiente. A gente nem sabe mais ver se o filho está com/sem febre ou se está em estado febril sem termômetro.
A gente aceita que uma pessoa venha e diga que a gente não é capaz de parir e a gente aceita ter a barriga cortada, o útero cortado. A gente aceita que alguém venha e diga que nosso útero não contrai o suficiente, então a gente aceita a ocitocina. E um outro alguém diz que a dor do parto, imagine, a gente não consegue agüentar. Então a gente toma anestesia. E mais alguém diz (um homem, provavelmente de pinto pequeno ou a esposa de um desses) que a vagina alarga depois de parto normal. E a gente, então, vai pra cesárea.

A gente não acredita que está tudo bem até fazer um exame de sangue, um ultrassom, uma tomografia, e aquela pessoa de branco dizer que está. E a gente aceita tudo o que essa pessoa diz. Isso sem, nem ao menos, questionar, buscar outra solução, outra opinião.
Agora, não! Eu não estou dizendo que médico é supérfluo!
Só estou dizendo que a gente precisa se conhecer, conhecer tudo o que acontece, saber como acontece, por que acontece. E não aceitar uma histerectomia, uma cesárea, uma ligadura, um Buscopan, um NAN, uma vitamina, um hormônio, sem ao menos saber os prós, os contras e quando cada coisa é necessária.

Então, entre uma depilação e uma máquina de lavar, entre a cabeleireira e a academia, vamos tentar conhecer mais sobre a gente, o nosso corpo, resgatar o feminino sagrado perdido. Isso pra que as nossas filhas passem por tudo com mais sabedoria, mais naturalidade, mais autoconfiança. Que elas conheçam também seus direitos como mulheres. E que, algum dia, a vida pras mulheres seja mais fácil. E pra que, um dia, esse "Dia da Mulher" seja mais um dia comercial e bobo.
Criemos nossos filhos meninos pra que saibam respeitar mais as mulheres, o feminino. Sem achar legal fazer piada sobre mulher no volante ou essas propagandas de cerveja ridículas de hoje.

Parabéns pra minha linda filha Melissa, que é uma mocinha e vai ser uma mulher maravilhosa num futuro muito próximo. E que, se depender de mim, vai saber escolher melhor que eu, vai ser mais informada e esclarecida.
E parabéns pra todas as outras (super) mulheres que fazem parte da minha vida!

7 comentários:

flores na janela disse...

Meu Deus que a mulher ta inspirada.
Falou tudo o que ninguem tem coragem de admitir, mais que está lá no fundinho de todas.
Parabéns Thais por tantas palavras fortes,
E parabéns mulher de coragem, esposa, mãe e amiga mais que querida
bjks

Simone disse...

Nada a acrescentar ou tirar. Mais tarde escreverei sobre o preconceito que enfrento, inclusive de pessoas "amigas" e sobre a violência. bjs e feliz dia todos os dias!!!

Anônimo disse...

ai que bonitooooo
menina parabéns!!!!
um super beijo
*Sô*

Ka&Ti disse...

Thaaaa parabens p/ vc tbm!!!!!

E p/ todas nós mulheres!!! Nós que temos q passar por tudo isso e mesmo assim sempre somos cobradas por mais e mais!!
Minha maior vontade é largar tudo e poder criar meu filhote assim como minha mãeme criou e não ter q largar ele com apenas 4 meses e ir trabalhar de manha, voltar só a noite quase 12 horas depois, ficar aguentando cobrança e chatiação de chefe mal amado e cliente chato... enqto meu pequeno chora em casa...aiaia
Ainda chego em casa tenho q ser mãe muher e dona de casa e tudo isso em apenas umas poucas horas antes de dormir e comecar tudo de novo..... q vida....


bjinhus

Cassab disse...

Parabens para nós!!! e como vcs estão?

menina dos cabelos amarelos disse...

ah, eu acho que TODO DIA É DIA DA MULHER. o dia 08/03 é só uma data simbólica pra mostrar ao mundo quanto preconceito e quantas dificuldades as mulheres ainda enfrentam. porque, homenagens e carinho, a gente merece TODO DIA. beijos, adorei o texto.

Anônimo disse...

Onde vc aprendeu a escrever tão bem? Cacete!

te amo.

mãe